Quando falamos em futuro, uma das coisas que nos poderá vir à cabeça são os hologramas. Dessa forma poderá afirmar-se que o armazenamento holográfico poderá ser o próximo tipo de armazenamento de alta capacidade.

Os Hologramas

Certamente que todos se lembram de uma celebre cena do filme Regresso ao Futuro em que existia um holograma sob forma de tubarão!

Os hologramas foram concebidos em teoria em 1947 pelo húngaro Dennis Gabor. Porém só viraram realidade na década de 60 após a invenção do laser.

Na prática os hologramas são uma técnica de registo de padrões de interferência de luz, o que faz com que possam ser explorados em outras áreas, como é o caso do armazenamento de alta capacidade.

A necessidade do armazenamento holográfico

Nos dias de hoje, recorrer a armazenamento na nuvem é algo fortemente comum, pois existe um maior volume de dados e a pesquisa e desenvolvimento em relação a novas formas de armazenamento é crucial para a evolução dos dispositivos de armazenamento de informação.

O conceito, apesar de ainda que inovador já não é novo (já havia sido abordado em 1960) e a microsoft revelou no passado mês de Setembro que já está a trabalhar ativamente no projeto HSD (Holographic Storage Divice)

O Projeto HSD – Holographic Storage Device

Este projeto consiste em explorar certas capacidades e novas técnicas para o armazenamento de alta capacidade. Uma parceria entre a Microsoft Research Cambridge e o Microsoft Azure, fazem com o que explorar uma ideia antiga, como um certo design que prioriza a nuvem. A missão deste visa criar um armazenamento na cloud que seja de alta resistência e livre de movimentos mecânicos. Ao mesmo tempo que seja de alto desempenho e económico. Desse modo a equipa foi levada a novos desafios de pesquisa e descobertas em várias áreas, que vão desde materiais até ao machine learning.

Como é que funciona?

Muito bem, estes sistemas armazenam dados registando a interferência entre as frentes de onda de um campo ótico modulado, contendo os dados e um campo ótico de referência, como uma variação do índice de refração dentro da mídia de armazenamento. É esta informação que contém a variação do índice de refração que é o “holograma” (HSD Project, 2020).

Este vídeo mostra como funciona o armazenamento holográfico, usando luz verde para gravar dados como um holograma persistente dentro de um cristal óptico. Os dados podem ser lidos novamente utilizando outro sinal de luz verde. A mídia pode ser novamente gravada após ser facilmente apagada com luz ultravioleta.

Fontes:
https://en.wikipedia.org/wiki/Holographic_data_storage

Project HSD: Holographic Storage Device for the Cloud